4 ideias de marketing para supermercados para alavancar os resultados

4 ideias de marketing para supermercados para alavancar os resultados

O que fazer com aquele produto que quase não vende? Por que as pessoas passam tão pouco tempo dentro da minha loja? Como faço para aumentar meu ticket médio de vendas? Não se desespere: o marketing para supermercados pode resolver todas essas questões!

E não se trata de mágica. As ações que propomos neste texto são fundamentadas em pesquisas sobre comportamento humano e como ele pode ser influenciado por meio de estratégias eficientes de marketing.

Antes de tudo, saiba que há dois tipos de cliente: os que já compraram na sua loja e os que ainda nem sabem que ela existe! O que você tem feito para fidelizar as pessoas que entram na sua loja? O que tem feito para atrair pessoas para seu Ponto de Venda (PDV)? Muitos varejistas se preocupam em atrair novos clientes, mas se esquecem que podem faturar muito mais mirando nos antigos.

Se essas e outras questões inquietam sua mente, pare o que estiver fazendo e tome nota das 4 ideias de marketing para supermercado que preparamos neste post!  

1. Fortaleça sua marca nas redes sociais

Nosso principal objetivo aqui é atrair novos clientes. Não basta estar nas redes, é preciso estar em movimento para que o novo perfil de consumidor do mercado (que ainda não sabe que você existe) tome conhecimento desse fato!

Se ainda não possui uma logo, um slogan e mídias de qualidade (sejam fotos e/ou vídeos), precisa providenciar — e urgentemente. Trabalhar a Fanpage do Facebook, o site institucional, o Instagram (postando conteúdos diários, fazendo promoções, oferecendo cupons de desconto etc.).

Você precisa de vários contatos até convencer seu novo cliente da seriedade da sua empresa, da diversidade de produtos que oferece e de que tem a melhor opção para atender as necessidades dele.

2. Abuse dos estímulos sensoriais

Visão

Você precisa criar desejos nos seus clientes e, quando utiliza bem as redes sociais, como dissemos no tópico anterior, está fazendo isso por meio da visão.

É também a visão que fará com que o cliente passe em frente à sua loja e se decida por entrar. Lá dentro ele precisa continuar sendo estimulado por meio de cartazes promocionais, limpeza e organização. Produtos e gôndolas desalinhadas e sujas transmitem a sensação de desleixo, de abandono, de que a empresa não se importa com o cliente. Mas quando organizar os produtos, deixe alguns espaços estratégicos entre eles, para que o cliente possa retirar os produtos e não tenha a sensação de que está tudo empilhado na gôndola.

A iluminação do ambiente também é fundamental: a luz branca transmite transparência, confiança para o cliente. Alguns produtos, porém, merecem uma luz mais quente para despertar a sensação de apetite, como é o caso dos pães e salgadinhos!

Audição

A vinculação da música e dos sons à marca ou produto é tema tão sério no marketing que já tem até nome, sound branding. Mas a dica aqui é mais simples: você precisa ter música de fundo no seu supermercado, pois ela influencia diretamente o padrão de consumo das pessoas.

O ideal é que sejam lentas e com notas tristes. Lentas para desacelerar as pessoas e causar a sensação de que elas têm tempo para as compras, não precisam correr. Já as tristes, ao gerar melancolia no ser humano, ele tende a querer preencher seu vazio interior comprando mais.

Olfato

Grande parte dos produtos de um supermercado não tem cheiro, certo? A dica então é valorizar os cheiros existentes: passar um café ou assar um bolo na padaria, abrir uma fruta mais aromática no hortifruti ou trazer aquele cheiro de lavanda ou eucalipto para a sessão de limpeza são ótimas alternativas para alavancar vendas.

Se preciso for, existem odorizadores de ambiente artificiais para que você consiga esses aromas sem muito esforço.

Paladar

Suponhamos que você seja um amante de vinhos e está escolhendo um para comprar. Você quer uma sugestão, então olha para o lado e vê uma pessoa pronta para descrever sabores, aromas e opinar sobre custo-benefício.

Além disso, a pessoa tem nas mãos algumas opções de queijos e frios cortadinhos para que você possa degustar e, quem sabe, resolver levar também um tira-gosto para acompanhar.

Precisa dizer mais? Claro que não. Sua experiência está completa! Viu, ouviu, sentiu e experimentou, só depois decidiu, certo de ter feito a melhor escolha. Cliente fidelizado!  Várias redes de supermercado já fazem isso, contratando sommeliers para ajudar na escolha de vinhos.

3. Crie desculpas para o consumo

Quando faltam poucos meses para o Natal, as lojas ficam repletas de panetones, bolas vermelhas e Papei Noel. Um mês antes da Páscoa há ovos de chocolate em todos os tetos de lojas comerciais.

Claro que você precisa fazer essas coisas se não quiser sair perdendo para a concorrência nessas datas. Mas quantas lojas conhece que trabalham ações de venda para o dia do professor fazendo promoções de materiais escolares? E porque não fazer aquele desconto em produtos para o pet no dia dos animais?

Pode ser que seu cliente esteja indo comprar outras coisas, mas ele vai pensar nessas promoções como oportunidades de antecipar a compra de algo que virá a precisar mais tarde, com o benefício do custo reduzido.

4. Entenda a importância de tamanhos e disposição

Tamanho

Carrinhos e cestinhas maiores são mais difíceis de preencher. Quanto mais produtos couberem neles melhor, porque instintivamente as pessoas querem preencher espaços vazios.

Corredores muito largos otimizam o trânsito e assim as pessoas passam mais rápido por ele. Corredores muito curtos também não contribuem com consumo. Considere estender os corredores e diminuir suas larguras, com muito cuidado para não causar transtornos.

Disposição

A capacidade de atenção do ser humano é limitada e cada vez mais reduzida. Por isso, quanto mais na altura dos olhos os produtos mais relevantes estiverem, maiores as chances de serem comprados por impulso. Mesma coisa para crianças: produtos de interesse infantil precisam estar visualmente acessíveis, em gôndolas inferiores.

Valorize a lógica do preço de venda também. Dê ênfase ao produto mais caro em cima e o mais barato embaixo, aumentando as chances de o primeiro ser escolhido.

E, por último: produtos complementares devem ficar próximos uns dos outros. Quem compra fralda infantil vai se interessar por lenço umedecido. Quem consome café pode se interessar por xícaras. Quem compra macarrão provavelmente precisará de molho!

O mais importante é pensar que o marketing para supermercados tem o objetivo de alavancar as vendas. Isso só vai ser possível se ele não for vazio de sentido, ou seja, a loja precisa entregar qualidade em produtos e valor para o cliente. Só assim poderá aumentar o poder de competitividade e se destacar no mercado!

Quer complementar o conhecimento que acabou de adquirir? Então não deixe de ler o nosso artigo sobre Merchandising no Ponto de Venda e torne sua estratégia imbatível!

Sobre o autor

Fazenda Contabilidade

Com mais de 40 anos de história, a Fazenda Contabilidade é uma empresa tradicional. Mas tradição não é olhar para trás e se manter preso ao passado. É ter conhecimento e segurança para que os próximos passos sejam dados com firmeza. É a história de quem sempre inovou e vai continuar inovando, para atender cada vez melhor aos seus clientes. A Fazenda é uma assessoria empresarial completa, com um time de profissionais de diversas áreas que, juntos, vão cuidar de todos os processos da sua empresa. Com a tradição de quem inova há mais de 40 anos, temos o know-how e a qualidade necessários para ser seu melhor parceiro de negócios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Banner

Share This