6 dicas de como montar uma escala de trabalho produtiva

6 dicas de como montar uma escala de trabalho produtiva

Você sabe como montar uma escala de trabalho? Com tantas responsabilidades, é comum que os administradores cuidem de questões mais burocráticas e complexas e acabem deixando de lado esse detalhe tão importante para a produtividade da empresa.

Saber distribuir seus colaboradores dentro do horário de funcionamento do negócio é uma questão de estratégia. Afinal, você estará aproveitando todo o potencial de sua equipe para manter o ritmo de trabalho constante e com qualidade.

O tema é tão importante que resolvemos selecionar as melhores dicas para quem precisa aprender a montar uma escala de trabalho na empresa. Tem interesse? Continue com a leitura!

1. Entenda a importância da escala de trabalho

Para se fazer uma boa escala de trabalho, é preciso entender o motivo para isso ser tão importante para a empresa. Conhecer essa relevância, na verdade, viabiliza resultados positivos em qualquer medida adotada.

Em resumo, os funcionários são a alma do negócio. Um empreendimento só prospera quando tem bons colaboradores e sabe aproveitar o potencial de cada um deles. Portanto, essa é, de fato, uma tarefa complexa e que demanda dos líderes uma boa capacidade de gestão de pessoas.

Porém, tão importante quanto ter bons funcionários e conseguir mantê-los motivados é distribuí-los em uma escala coerente e vantajosa para a empresa. Isso é o que garante uma produtividade estável, já que organiza os processos e o ritmo de trabalho.

2. Conheça os principais tipos de escala de trabalho

Depois de compreender a importância de uma escala de trabalho bem montada, é hora de falarmos sobre a parte burocrática dessa estratégia: os tipos de escala.

É preciso, no entanto, mencionar que não existe nenhuma complicação nesse caso, bastando que você identifique a que melhor atende às demandas de seu negócio. Veja:

  • Escala 5×1: nesse modelo, o funcionário trabalha cinco dias e folga um. Porém, é preciso garantir que ele receba uma folga aos domingos a cada sete dias de trabalho. A jornada costuma ser de 7h20min;

  • Escala 5×2: a cada cinco dias trabalhados, o funcionário descansa dois. Essas folgas podem ser seguidas ou não;

  • Escala 6×1: é concedido um dia de folga a cada seis dias trabalhados. É necessário garantir que o funcionário tenha, pelo menos, uma folga no domingo a cada 7 semanas;

  • Escala 12×36: após a Reforma Trabalhista de 2017, essa jornada passou a ser liberada para qualquer atividade. Assim, o funcionário trabalha 12 horas seguidas e folga 36;

  • Escala 24×48: a cada 24 horas de trabalho, o funcionário folga 48. Essa é uma jornada comum em empresas de pedágio e alguns setores da polícia, por exemplo.

3. Estude a legislação para aprender como montar uma escala de trabalho

Uma das maiores dificuldades de empresários e gestores é dominar as inúmeras regras que orientam as relações trabalhistas. No entanto, isso não deve ser um impedimento para se esforçar e conhecer sobre o assunto.

Em 2017, por exemplo, tivemos a Reforma Trabalhista, que foi um marco fundamental para a área. Muitas mudanças foram implementadas, como o banco de horas e a compensação de jornada, e é preciso conhecê-las para não enfrentar problemas com a Justiça.

Além disso, é muito importante que você saiba que existem limites de trabalho em nosso país. A Constituição Federal e a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) determinam que:

  • a jornada de trabalho semanal não pode ultrapassar 44 horas;

  • a jornada diária é de oito horas, ressalvados os casos especiais;

  • o período de repouso entre uma jornada e outra não pode ser inferior a 11 horas;

  • funcionários com escala de 4 a 6 horas de trabalho precisam de um intervalo de 15 minutos;

  • funcionários com escala acima de seis horas de trabalho precisam de um intervalo de, no mínimo, uma hora.

4. Invista em planejamento

O planejamento é a base de qualquer estratégia empresarial, pois é por meio dele que o gestor conhece suas demandas, fraquezas e os recursos à sua disposição, tirando o melhor proveito deles.

Em relação à criação de uma escala de trabalho, é necessário planejar todos os detalhes com atenção. Comece avaliando os dias e horários em que o movimento é maior na empresa e anote os possíveis turnos, com horários de entrada, saída e intervalos.

Com base nessas informações, é possível escolher os dias em que as folgas dos colaboradores não prejudicarão a produtividade da empresa e o atendimento ao cliente. Por isso, aprenda a planejar com eficiência!

5. Converse com seus colaboradores

Um líder de verdade não impõe regras sem ouvir sua equipe. Ainda que a decisão final seja sua, é preciso conversar com os funcionários para entender suas necessidades e limitações.

Existe, por exemplo, a possibilidade de um colaborador ter dificuldades em trabalhar durante o período noturno porque tem filhos pequenos. Esse é um detalhe importante e, quase sempre, pode-se solucioná-lo de uma maneira que não prejudique as duas partes.

6. Tenha um controle eficiente do banco de horas

Nossa última dica diz respeito à administração do banco de horas na empresa. Mesmo com uma boa escala de trabalho, é possível que os funcionários façam horas extras — e isso precisa ser muito bem gerenciado.

Além de anotar com atenção todo o saldo positivo e negativo de cada membro da equipe, é preciso repassar esse documento ao final de cada mês para que ele esteja ciente de seus direitos e deveres.

Outro ponto que precisa estar claro é a compensação (ou não) de horas trabalhadas. A empresa pode optar por dar folgas ao funcionário para compensar o trabalho extraordinário — isso deve estar registrado no contrato de trabalho — ou em pagar a hora extra — que deve ser de, no mínimo, 50% do valor da hora normal ou que estiver acordado em Convenção Coletiva.

Aprendeu como montar uma escala de trabalho? As dicas apresentadas ao longo do post são os primeiros passos para que você consiga distribuir seus funcionários em uma jornada que atenda às necessidades do negócio e ajude-o a crescer de maneira saudável.

É sempre bom lembrar que o conhecimento da legislação é imprescindível nesse caso, já que tratamos de uma relação em que é preciso garantir o melhor para a empresa sem desrespeitar as leis e os direitos básicos de seus funcionários. Seguindo essas orientações, tenha certeza de que você obterá sucesso em suas estratégias!

Gostou do post? Acha que ele pode ser útil para mais pessoas? Então compartilhe-o com seus amigos nas redes sociais!

 

Sobre o autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Banner

Share This