Como fazer uma gestão de estoque eficiente na sua empresa

Como fazer uma gestão de estoque eficiente na sua empresa

A gestão de estoque é um tema que deve ser prioritário no gerenciamento de um negócio, principalmente em supermercados. O rastreamento preciso do inventário permite que uma empresa cumpra os pedidos no prazo e com precisão, mantendo-se competitiva no mercado.

Ao adotar um sistema de gerenciamento de estoque, é possível acompanhar exatamente onde seus ativos estão e o que eles valem. O sistema também analisa as necessidades de estoque e ajuda a otimizar a gestão de pedidos de compras.

Um controle de estoque bem-feito ajuda a compreender os seus ativos e a maximizar o seu potencial, melhorando as operações comerciais e aumentando o lucro real. Por isso, neste artigo, vamos ensinar a importância e as melhores formas de fazer a gestão de estoque em sua empresa. Boa leitura!

O que é gestão de estoque?

Um sistema de gestão de estoque supervisiona todos os itens armazenados por uma empresa. Por meio dele, é possível acompanhar e gerenciar todos os itens de seu inventário durante toda a sua vida útil, desde a entrega do fornecedor até a produto chegar na sacola de compras de um cliente.

Geralmente, esse controle é feito por código de barras. Depois que cada item é codificado em um banco de dados, o sistema precisa de um scanner de código (ou um aplicativo de smartphone) para rastrear os itens conforme entram ou saem do estoque. Com essa tecnologia, é possível analisar informações, gerar relatórios e compartilhar esses dados com outros aplicativos financeiros da empresa, como o sistema de compras, por exemplo.

Qual a sua importância para os negócios?

Entender o que você tem, onde ele está em seu depósito e quando o estoque está entrando e saindo pode ajudar a reduzir custos, acelerar o cumprimento de prazos e evitar desperdícios. Por isso, a gestão de estoque é importante para manter o equilíbrio correto de produtos em seus depósitos.

Você não quer perder uma venda por não ter estoque suficiente para atender a um pedido, certo? Por isso, quando o seu inventário é controlado, é possível fornecer um melhor atendimento ao cliente. Ele também ajudará a ter uma compreensão melhor e em tempo real do que está sendo vendido e do que não está. Isso é fundamental para evitar que itens ocupem espaços desnecessários no seu depósito.

Estoque parado significa produtos perdendo o prazo de validade, sendo danificados ou até mesmo esquecidos. O objetivo da gestão de estoque é fornecer uma visão real da demanda por seus produtos.

Quais os problemas causados pela falta de controle de estoque?

A falta ou o excesso de estoque são os piores pesadelos de um varejista. Eles não apenas resultam em perda de vendas, como também em desperdício de dinheiro com produtos parados no depósito. Geralmente, os clientes se sentem decepcionados quando você não tem o que estão procurando, o que gera impactos negativos ao empreendimento.

Além disso, há perda de receita associada a produtos em estoque com pouca demanda de mercado. Existe dinheiro da empresa atrelado à compra original das mercadorias e também custos associados ao armazenamento do estoque.

Esses custos se somam rapidamente a outros fatores, incluindo pagamentos de aluguel, manutenção de equipamentos, recursos humanos, seguros e juros que se acumulam em itens que não foram vendidos.

Quais os métodos de gestão de estoque?

Hoje em dia, existem várias metodologias que permitem ao dono de um supermercado fazer uma boa gestão de estoque e precificar corretamente seus produtos. A adoção de um método significa reduzir o desperdício de produto, excesso de capital parado, entre outros prejuízos. Estes são os dois mais utilizados:

PEPS (Primeiro que Entra, Primeiro que Sai)

Essa metodologia consiste em priorizar os lotes mais antigos de mercadorias. Para isso, é fundamental que os itens sejam organizados de forma seriada, permitindo que os produtos mais “velhos” sejam vendidos primeiro. Esse método é muito utilizado no varejo que comercializa itens perecíveis, sendo que o preço de aquisição do produto mais antigo é usado para calcular o preço de venda.

UEPS (Último que Entra, Primeiro que Sai)

Sendo o inverso do método anterior, neste caso, o último lote adquirido é que tem a preferência na saída do estoque. O mesmo vale para o custo de aquisição do último lote para calcular o preço da venda. Como normalmente esse valor é mais alto, no final do processo há um crédito positivo devido à valorização do preço do produto.

Como fazer a previsão de demanda?

Para calcular o momento de reabastecimento do estoque, você precisa acompanhar detalhadamente as vendas unitárias diárias previstas. Algumas empresas sabem esse número exato porque já têm pedidos pendentes de seus clientes. Outras analisam as vendas passadas para determinar esse número.

Em primeiro lugar, você precisa verificar se a rotatividade de estoque está dentro da média do setor. Uma vez que você tenha acertado o giro do seu estoque, a previsão torna-se muito mais fácil e precisa.

Contudo, quando você faz um pedido de compra com um fornecedor, também precisa considerar o tempo para que o estoque chegue à sua porta. Isso é chamado de “lead time”. O prazo de entrega de um fornecedor local pode ser de um a quatro dias, enquanto o de um externo pode ser de quatro semanas, por exemplo. Portanto, você deve ter pelo menos inventário suficiente para suportar a demanda do lead time.

Muitas coisas podem acontecer durante esse período. O fornecedor pode atrasar na entrega do seu pedido ou você pode obter um salto inesperado nas vendas. Portanto, além de ter estoque suficiente durante o tempo de espera típico, você também precisa manter um pouco mais de cada produto, conhecido como “estoque de segurança”.

Manter o controle de produtos usando uma caneta e papel não é apenas demorado, mas também pode levar a erros. A boa notícia é que existem softwares de inventário que fazem a maioria dos cálculos para você. Mas, independentemente da tecnologia utilizada, você deve estar ciente de como esses números são calculados para garantir que seus dados de entrada — como previsões, lead times ou vendas passadas — sejam inseridos corretamente.

Dessa forma, muitas causas da falta ou excesso de estoque podem ser evitadas simplesmente ao adotar uma boa gestão de estoque, entendendo melhor o seu negócio e refinando os processos de compra e venda. Assim, por meio de uma combinação precisa de tecnologia e pessoal experiente, é possível manter um estoque robusto, aumentando a eficiência geral da organização e a satisfação do cliente final.

Gostou das dicas de como fazer uma gestão de estoque na sua empresa? Ficou com alguma dúvida? Compartilhe sua mensagem nos comentários!

Sobre o autor

Fazenda Contabilidade

Com mais de 40 anos de história, a Fazenda Contabilidade é uma empresa tradicional. Mas tradição não é olhar para trás e se manter preso ao passado. É ter conhecimento e segurança para que os próximos passos sejam dados com firmeza. É a história de quem sempre inovou e vai continuar inovando, para atender cada vez melhor aos seus clientes. A Fazenda é uma assessoria empresarial completa, com um time de profissionais de diversas áreas que, juntos, vão cuidar de todos os processos da sua empresa. Com a tradição de quem inova há mais de 40 anos, temos o know-how e a qualidade necessários para ser seu melhor parceiro de negócios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Banner

Share This