Como separar as despesas pessoais das contas da empresa?

Como separar as despesas pessoais das contas da empresa?

Você, como empresário, sabe como separar despesas pessoais das contas da empresa?

É muito comum vermos proprietários com um patrimônio pequeno gerenciando firmas bem-sucedidas, com grande capital, ou vice-versa. Esse fato curioso ocorre devido a erros triviais na administração financeira do negócio, e é um fato que deve ser observado com muita atenção, pois esse tipo de falha na administração de capital pode causar graves danos (ou até mesmo levar uma empresa à falência).

Para iniciar um processo de mudança de gestão e organização, é preciso estruturar a área financeira da empresa. A princípio, a transformação começa pelo empresário, que deve deixar para trás hábitos administrativos nocivos, como misturar as contas pessoais com da empresa, quitar dívidas domésticas com o dinheiro da firma, usar recursos pessoais para tapar rombos da companhia, entre outros.

Sabemos que dar início a esse processo não é fácil. E é exatamente por esse motivo que decidimos elaborar o conteúdo de hoje, para mostrar aos empresários brasileiros como separar as despesas pessoais das contas da empresa com apenas 6 passos. Ficou interessado? Então, acompanhe!

Mantenha o foco em como separar as despesas pessoais das contas da empresa

Inicialmente, o método mais prático para organizar a parte financeira de qualquer negócio deve partir da cisão das contas-correntes. Para isso, o empresário deve abrir uma conta bancária própria para pessoa jurídica, considerando a principal atividade que é exercida pela empresa.

O objetivo dessa ação é tornar mais simples o controle sobre as receitas/gastos da corporação, assim como facilitar a administração financeira pessoal do empreendedor. Porém, para que essa estratégia funcione, é preciso que o empresário se conscientize, de modo que não utilize (em hipótese alguma) o valor disposto na conta corrente da empresa para benefício próprio.

Não utilize a conta da empresa para suprir necessidades pessoais

Utilizar sua renda doméstica para cobrir necessidades corporativas é sinal de que há alguma falha no gerenciamento financeiro do negócio. Igualmente, realizar retiradas indevidas da conta da empresa para quitar dívidas pessoais é um ato notório de desespero e, consequentemente, de má administração.

Em resumo, não faça uso do dinheiro da firma para pagar contas pessoais, e vice-versa. Para não se atrapalhar com esse tipo de organização, é preciso que o gestor tenha noções básicas sobre o departamento financeiro, caso contrário, não será capaz de examinar, mensalmente, as receitas/despesas da companhia.

O confronto entre os dois segmentos deve ser feito para que o empresário consiga vislumbrar o resultado obtido ao fim do mês, visando identificar se o negócio teve lucro ou prejuízo.

Faça reservas mensais

Saiba que o seu dever principal é de estruturar o setor mais importante do seu negócio: o financeiro. Para isso, é preciso que alguns mecanismos sejam colocados em prática, como a reserva de dinheiro na conta da empresa.

Esse procedimento serve para cobrir eventuais emergências ou necessidades empresariais, além de impedir que o empresário utilize o seu dinheiro para pagar contas da empresa, como foi exemplificado acima. Para isso, é preciso realizar análises das entradas/saídas, concluindo quanto a empresa deve guardar ao fim de cada mês.

Tenha um fluxo de caixa

O registro em papel, ou por meio de planilhas do Excel, vai contribuir para que você consiga visualizar todas as movimentações de dinheiro da sua empresa. O fluxo consiste em preencher e confrontar os campos de receita (faturamento) e despesa. O gestor deve pegar o valor da renda mensal e subtrair os gastos do mesmo mês para chegar ao saldo, que revelará quanto sua empresa obteve de lucro (ou de prejuízo) em cada mês.

Com base nesses dados, será mais fácil compreender a capacidade financeira do seu negócio. E a partir desses dados, você vai conseguir visualizar com mais clareza a capacidade da sua empresa, além de poder avaliar questões fundamentais, como:

  • quanto pode investir no seu estabelecimento;

  • a estimativa de crescimento da empresa;

  • o valor do seu salário, como administrador/dono.

Estipule os valores da sua retirada

Um hábito muito comum entre os empresários é a realização das retiradas conforme sua conveniência pessoal, o que é um grande erro. No âmbito corporativo, a conduta correta é estabelecer o valor de pró-labore de cada sócio, inclusive do majoritário, fundamentado na função que cada gestor exercer.

Para que o método funcione, é preciso elaborar um planejamento financeiro coeso, atingindo um controle financeiro ideal. Para isso, deve-se abater o valor do faturamento com os principais gastos da empresa, como:

  • despesa com fornecedor;

  • despesa com água e luz;

  • pagamento de funcionários;

  • reinvestimento em produtos/materiais para prestação de serviço;

  • impostos;

O intuito desse método é chegar ao valor correto de retirada para todos os sócios, evitando, assim, prejuízos futuros ou falta de recursos para suprir as necessidades da empresa.

Busque auxilio profissional

Procurar ajuda é, sem dúvidas, o passo mais importante a ser tomado, principalmente se você é um empresário novo no ramo ou que não tem o conhecimento adequado para estruturar as suas finanças sozinho.

Um contador, por exemplo, é um ótimo profissional para ajudá-lo no gerenciamento da parte financeira do negócio. Além disso, a contratação de um profissional capacitado lhe dará a oportunidade de usufruir de outros serviços, como:

  • auditoria na parte financeira;

  • assessoria no setor fiscal;

  • acompanhamento do faturamento;

  • transmissão de declarações;

  • elaboração de relatórios, balanços e balancetes;

  • ajuda na organização das contas/recebimentos;

  • resolução de problemas financeiros com órgão públicos;

  • auxílio no parcelamento de dívidas.

E esses são apenas alguns dos benefícios que uma empresa especializada na área contábil, como a Fazenda Contabilidade, pode oferecer para os empresários que não sabem como separar despesas pessoais das contas da empresa.

Com experiência em seu ramo de atuação, os parceiros da área de gestão financeira e contábil podem oferecer serviços qualificados ao empresário, incluindo orientações para melhorar a atuação no segmento de atividade (seja ele qual for) e assessoria personalizada em vários setores em que seu negócio pode e precisa se desenvolver.

E aí, gostou das dicas? Entendeu como separar as despesas pessoais das contas da empresa? Se você se interessa por esse tipo de conteúdo, nos siga nas redes sociais, para ficar por dentro das principais novidades desse nicho.

Sobre o autor

Fazenda Contabilidade

Com mais de 40 anos de história, a Fazenda Contabilidade é uma empresa tradicional. Mas tradição não é olhar para trás e se manter preso ao passado. É ter conhecimento e segurança para que os próximos passos sejam dados com firmeza. É a história de quem sempre inovou e vai continuar inovando, para atender cada vez melhor aos seus clientes. A Fazenda é uma assessoria empresarial completa, com um time de profissionais de diversas áreas que, juntos, vão cuidar de todos os processos da sua empresa. Com a tradição de quem inova há mais de 40 anos, temos o know-how e a qualidade necessários para ser seu melhor parceiro de negócios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Banner

Share This