Os diferenciais que uma contabilidade para supermercados precisa ter

Os diferenciais que uma contabilidade para supermercados precisa ter

Sua empresa tem na contabilidade para supermercados um aliado estratégico ou, para você, a parte contábil só serve mesmo para cuidar da folha de pagamento e dos impostos? Já foi o tempo em que os contadores ficavam à parte na hora de definir novos rumos para o negócio. Hoje, a contabilidade se desdobra em novas especialidades, com destaque para a contabilidade consultiva, controladoria e como apoio em auditoria fiscal.

Esse é um aspecto nem sempre observado pelos gestores dos estabelecimentos varejistas brasileiros, afinal, mais de 90% das empresas nacionais são familiares. Contudo, um negócio em família não significa que o profissionalismo possa ser deixado de lado.

Para ajudar a tratar do assunto com propriedade, o analista de escrita de consultor fiscal da Fazenda Contabilidade, Diogo Furioso, nos esclarece os pontos mais importantes. Acompanhe:

O que é contabilidade

Por definição, contabilidade é a especialidade que se ocupa de ordenar os assuntos financeiros e fiscais, viabilizando a continuidade de uma atividade produtiva. Já em relação ao segmento supermercadista, cabe à contabilidade prestar consultoria de RH para apoiar gestores, como destaca Diogo. Esse apoio se traduz em atividades como descrição de cargos, horas, procedimentos de recursos humanos, entre outras.

Na parte de contabilidade, também estão entre suas funções elaborar a análise tributária de produtos do supermercado, ajudando gestores a atualizar e revisar os preços.

Assim, pode-se dizer que a parceria entre contadores e supermercadistas se revela essencial para o sucesso. Nesse sentido, o tratamento dos impostos é fundamental, considerando a extensa gama de produtos com que se trabalha em uma loja. Em média, um supermercado classificado como de médio porte tem um mix de, aproximadamente, 4 mil tipos de mercadorias.

Cada uma delas implica uma alíquota de imposto distinta ou mesmo sujeição da empresa a sistemas complexos como a Substituição Tributária (ST). Previsto no ICMS e IPI, o Imposto sobre Produto Industrializado, a ST pode ser considerada uma “faca de dois gumes”, já que pode complicar ou facilitar a vida da empresa.

Isso porque, se a contabilidade não atua com postura estratégica, fatalmente expõe o negócio ao risco do pagamento de imposto maior. É uma ameaça real, caso a parte tributária não seja orientada para garantir bons resultados.

Por isso, salienta Diogo, o principal benefício da contabilidade para supermercados é auxiliar na redução de custos fiscais. Não menos importante, a empresa torna-se capaz de lidar com mais desenvoltura com seus impostos, seja pela escolha do regime mais adequado ou por práticas de elisão fiscal.

A importância da contabilidade para donos de negócio

Já não é de hoje que a carga tributária no Brasil é responsável pelo alto custo dos produtos repassado ao consumidor. Dependendo da mercadoria, no preço final, o consumidor pode pagar mais de 50% só de impostos, como é o caso dos adoçantes e vinhos.

Sendo assim, nada mais natural que donos de supermercados passem a ver a questão tributária como um problema do qual precisam se livrar diariamente.

Nesse sentido, Diogo faz uma revelação: “tivemos diversos casos em que os clientes não tinham um controle eficiente, pagando muitos impostos. Nesse aspecto, a Fazenda Contabilidade presta auxílio para a geração de lucro real, trabalhando, ainda, com folha de pagamento, desde a contratação do funcionário até a sua demissão”.

Contabilidade e estratégia para supermercados

Como se vê, não se trata apenas de garantir a menor tributação na aquisição de mercadorias junto aos fornecedores. Supermercadistas também lidam com um outro desafio — a alta rotatividade no setor varejista.

O turnover, como é conhecido, prejudica gestores em função dos altos custos que gera. Um colaborador demitido significa gastos com indenizações e encargos, fora a demanda que gera por uma nova contratação e seu posterior treinamento.

Para minimizar os prejuízos potenciais nesse aspecto, Diogo diz que a saída é o controle rigoroso para reduzir a incidência de erros. Não menos importante, junto ao rigor, a rotatividade e outros desafios são superados quando a contabilidade para supermercados atua como parceira estratégica:

  • definindo políticas de contratação e de incentivo;

  • adequando o orçamento e permitindo o pagamento de bônus aos empregados;

  • orientando na escolha do regime tributário menos oneroso;

  • apoiando decisões junto ao setor de RH da empresa.

Diogo acrescenta: “em nossas ações, fazemos um estudo tributário sem compromisso para comprovar em que pontos o cliente por reduzir custos e, assim, alcançar o sucesso. Fornecemos relatórios e feedbacks frequentes sobre o faturamento, para o cliente saber o que está bom e o que pode melhorar”.

O acesso aos dados e resultados

A tecnologia é outra aliada estratégica na gestão contábil voltada ao setor de supermercados. Por isso, Diogo ressalta que os investimentos em tecnologia formam a base para uma gestão eficaz em processos como emissão de notas fiscais. Contudo, não basta investir: é necessário aliar o suporte da informática com treinamento e capacitação dos colaboradores.

Afinal, em se tratando de recursos tecnológicos, é preciso estar preparado para a evolução em um ritmo cada vez mais acelerado. Novos conceitos e ferramentas como Machine Learning (ML) e Internet das Coisas (IoT) também chegaram ao setor de supermercados — e para ficar.

Prova disso é o caso da rede britânica Morrison, que registrou aumento nas vendas depois de implementar ML para automatizar pedidos em suas 491 lojas. As ações permitiram, ainda, uma redução no encalhe do estoque em cerca de 30%.

Todos esses avanços, naturalmente, vêm acompanhados da escalada do consumo via dispositivos móveis. Sendo assim, o supermercadista que não tiver informação disponível na palma da mão tende a ficar para trás.

O crescimento da empresa

Mais conhecimento sobre as contas a pagar e receber, maior controle contábil e regime de parceria entre contabilidade e gestores são elementos que potencializam bons resultados. Como vimos até agora, não faltam motivos para que o setor contábil estenda seu braço a outros componentes e setores do negócio. Quando a cultura da empresa passa a ser orientada para os resultados que só a contabilidade pode gerar, todos saem ganhando.

Cases de sucesso

Nada melhor do que um caso de sucesso para ilustrar como a contabilidade e a tecnologia aplicada às rotinas dos supermercados podem fazer a diferença. Foi seguindo essa ideia que a rede Althoff de supermercados, em Santa Catarina, expandiu suas atividades para atender, hoje, a mais de meio milhão de clientes.

A adoção da tecnologia permitiu a integração fiscal de todos os setores da empresa, reduzindo custos e sincronizando matriz e filiais com dados em tempo real. Assim, o controle financeiro passou a ser de 100%, permitindo trabalhar, sem sustos, com cerca de 20 bandeiras distintas de cartão de crédito.

Essa história está se repetindo por todo o país nas redes que entenderam a importância da contabilidade para supermercados. Você também pode ser personagem nesse enredo — basta tomar uma decisão a favor do crescimento.

Faça contato e descubra, com um estudo sem compromisso, de que forma seus custos podem ser reduzidos. Conte conosco!

 

Sobre o autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Banner

Share This