Por que preciso de capital de giro? A gente explica!

Por que preciso de capital de giro? A gente explica!

O capital de giro é um dos elementos mais importantes de uma empresa. É por meio dele que as atividades financeiras podem ser mantidas, principalmente quando a empresa está no início de suas operações ou passando por períodos de baixo volume de vendas.

Portanto, é impossível pensar na sustentabilidade de uma empresa sem o necessário capital para fomentar as suas atividades básicas. Neste artigo, demonstramos o que é capital de giro, os riscos de atuar sem ele e como você pode calculá-lo de maneira simples e eficiente. Confira!

A importância do controle financeiro

Antes de começarmos a discorrer sobre o capital de giro, precisamos destacar a importância do controle financeiro. Por meio desse processo, você será capaz de gerir os recursos necessários para manter o seu negócio. Logo, nada mais justo que dedicar um tópico para ele.

O controle financeiro e o capital de giro são dois conceitos que se completam, pois não adianta ter um recurso que seja suficiente se você não for capaz de gerenciar e alocar corretamente.

Por meio desse controle, o gestor poderá direcionar pequenas parcelas dos recursos nas verbas mais necessárias, distribuindo o dinheiro considerando a importância de cada gasto. Dessa forma, o seu capital de giro será otimizado e, dificilmente, faltarão fundos para cobrir uma despesa ou custo extra.

Para tanto, você poderá se valer das ferramentas tecnológicas que existem atualmente. Elas possibilitam que essa gestão seja feita de forma mais eficiente, rápida e em tempo real, evitando erros e desvios.

A definição de capital de giro

Agora que você entende a importância do controle financeiro, vamos partir para o bom e velho capital de giro.

Para começarmos, mostraremos o conceito básico desse elemento: o capital de giro é o recurso necessário para financiar as operações de uma empresa, garantir o pagamento dos funcionários envolvidos com as vendas, comprar produtos para revenda e adquirir materiais necessários para a prestação de serviços.

Em resumo, é o dinheiro que garantirá a aquisição de matéria-prima para a produção, venda ou prestação de serviços de sua empresa. Sem esse fundo, a empresa correrá sérios riscos de não conseguir continuar produzindo, podendo não cumprir com obrigações assumidas e perder oportunidades de negócios.

Os riscos de não possuir capital de giro suficiente

 Agora que você entende o que é o capital de giro, vamos mostrar os principais riscos que a sua empresa se sujeitará caso não determine e gerencie o capital de giro suficiente. Entenda!

Riscos operacionais

O primeiro risco e o que viemos discutindo até o momento é o risco de ficar sem dinheiro para continuar funcionando. Sem a capacidade para operar, você perderá vendas e ocasionará uma sequência de problemas financeiros para a empresa.

Imagine o seguinte cenário:  sua empresa sem recursos suficientes para pagar um fornecedor. Consequentemente, não poderá mais adquirir os produtos com ele e, em seguida, não terá produtos em estoques para vender. Um problema desencadeia o outro, e a causa de tudo isso foi a falta de capital de giro.

Caixa negativo

A falta de capital comprometerá o caixa da sua empresa, fazendo com que ele fique “negativo”. Nesses casos, existem duas saídas. A primeira e menos danosa é o proprietário do negócio injetar dinheiro para cobrir o rombo, enquanto a segunda é buscar recursos de terceiros, gerando dívidas para a empresa.

Desempenho dos funcionários

Acredite, você jamais conseguirá esconder uma situação financeira caótica dos seus colaboradores. Eles são as pessoas que serão mais afetadas. Em alguns casos, mesmo com o salário e tributos trabalhistas pagos corretamente, eles conseguem perceber que algo na empresa não está indo bem.

Isso pode ser notado facilmente quando começa a faltar insumos e material básico para a venda ou prestação de serviços e cobrança de alguns credores.

Não pagamento de compromissos financeiros assumidos

Outro grande risco que pode comprometer a credibilidade do seu negócio perante o mercado é não conseguir honrar os compromissos financeiros assumidos. Afinal, quando a empresa não tem capital de giro, ela fica sujeita aos débitos em faturas ou prestações.

Precisar contrair dívidas

O pior risco de tudo é precisar recorrer a terceiros, bancos e instituições financeiras, para angariar recursos e cobrir o seu capital de giro. Geralmente, essas empresas costumam cobrar muito caro por esse dinheiro, o que pode prejudicar ainda mais a situação financeira do seu negócio a curto prazo.

O cálculo do capital de giro

Agora que entendemos o risco de atuar sem o devido capital de giro, vamos mostrar como você pode efetuar o cálculo desse valor de forma muito simples. Para tanto, vamos aprender uma fórmula: CGL = AC – PC, em que:

  • CGL: Capital de Giro Líquido;
  • AC: Ativo Circulante (o saldo de caixa, banco e clientes a receber);
  • PC: sigla utilizada para designar o termo Passivo Circulante, que se refere aos débitos a pagar aos fornecedores e credores (bancos e instituições financeiras), além de gastar em despesas gerais.

Por exemplo: em um período de um mês, a sua empresa tenha aproximadamente R$ 50.000,00 de AC e um total de R$ 30.000,00 de PC. Portanto, aplicando os valores na fórmula, vemos que o CGL é de R$ 20.000,00.

Esse cálculo simples pode ser realizado para qualquer período. No exemplo, utilizamos um mês, mas você pode aplicar a fórmula em períodos maiores se já contar com os dados necessários.

É importante mencionar que, nesse caso, é possível que surja alguma despesa adicional, que não estava prevista, ou a falta de pagamento por parte de alguns clientes, o que pode prejudicar severamente a sua gestão de capital de giro. Portanto, o mais recomendado é que esse cálculo seja feito a cada mês, utilizando dados mais próximos da realidade e que têm mais chances de se concretizar.

Dessa forma, podemos afirmar que o capital de giro é o que garantirá a sustentação da empresa ao longo dos anos. Por isso, é tão importante saber calculá-lo e gerenciar todas as questões que o envolve.

Gostou do artigo de hoje? Então, confira o artigo sobre 8 vantagens da automatização de processos financeiros na contabilidade de supermercados. Basta acessar o link. Boa leitura!

Sobre o autor

Fazenda Contabilidade

Com mais de 40 anos de história, a Fazenda Contabilidade é uma empresa tradicional. Mas tradição não é olhar para trás e se manter preso ao passado. É ter conhecimento e segurança para que os próximos passos sejam dados com firmeza. É a história de quem sempre inovou e vai continuar inovando, para atender cada vez melhor aos seus clientes. A Fazenda é uma assessoria empresarial completa, com um time de profissionais de diversas áreas que, juntos, vão cuidar de todos os processos da sua empresa. Com a tradição de quem inova há mais de 40 anos, temos o know-how e a qualidade necessários para ser seu melhor parceiro de negócios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Banner

Share This